ANPECOM - Associação comercial por uma economia de comunhão. Logomarca da ANPECOM, composta por meio globo mostrando o mapa do Brasil seguido do nome da associação

Economia de Comunhão

A Economia de Comunhão (EdC) nasceu em maio de 1991 no Brasil, com o objetivo de colaborar com a redução da pobreza, através da organização de iniciativas econômicas inseridas dentro de um movimento cultural mais amplo, composto por pessoas e instituições que objetivam, dos mais diversos modos, individual e coletivamente, construir a fraternidade nos dias de hoje.

Para maiores informações baixe o Flyer de Apresentação da EdC.

 

Manifesto

Nós acreditamos que somos uma única família global.
É inadmissível para nós que alguns tenham o que comer no dia de hoje e outros não.
O sofrimento e a violência causados pela pobreza que nos circunda nos interpela a fazer algo pelo mundo.
Somos um movimento de pessoas, instituições públicas e privadas que acredita que é possível reduzir a pobreza pela consolidação e ampla difusão de uma cultura fundamentada na fraternidade universal.

Como fazemos isso?

  • Criamos e integramos uma rede internacional de comunhão de necessidades, recursos e talentos;
  • Temos empresas e empresários que procuram adotar a cultura da fraternidade em suas práticas cotidianas, criando novas possibilidades de governança e relacionamentos profissionais e pessoais, humanizando as práticas de mercado;
  • Temos programas de incentivo ao empreendedorismo nessa nova perspectiva de mercado;
  • Temos polos de negócios;
  • Compartilhamos, livremente, parte dos nossos recursos com pessoas que integram projetos de superação de situações de vulnerabilidade econômica;
  • Compartilhamos nosso trabalho e nossas competências pessoais;
  • Fazemos financiamentos coletivos;
  • Realizamos reuniões, seminários e pesquisas acadêmicas para divulgar nossa cultura;
  • Fazemos conscientização social e mobilização política;
  • Fazemos projetos para superação de situações de vulnerabilidade econômica;
  • Fornecemos apoio a pesquisas acadêmicas nesse âmbito do conhecimento;
  • Temos uma associação nacional que nos articula e representa nacionalmente, com acordos de cooperação com associações de outros países;
  • Reunimos pessoas que querem fazer algo para melhorar o mundo.