ANPECOM - Associação comercial por uma economia de comunhão. Logomarca da ANPECOM, composta por meio globo mostrando o mapa do Brasil seguido do nome da associação

EdC e os jovens no Brasil: o futuro da comunhão

19/07/2019
No Brasil, a ANPECOM e a EdC promovem e apoiam cursos, treinamentos, projetos, iniciativas, estágios e outras ações que capacitam e envolvem os jovens com a Economia de Comunhão. Conheça!

A Economia de Comunhão é um projeto jovem, de apenas 28 anos. Mas bastou pouco tempo para que essa cultura econômica repleta de propósitos transformasse a vida de muitos empresários, no Brasil e no mundo.

Aqueles que protagonizaram essa história, e foram os primeiros adeptos da EdC em seu período embrionário, agora não medem esforços para que uma nova geração se comprometa com a sua prosperidade.

Por isso, no Brasil promovemos e apoiamos cursos, treinamentos, projetos, iniciativas, estágios e outras ações que capacitam e envolvam a juventude com a Economia de Comunhão.

Vamos conferir algumas delas?

EdC e os jovens: GENFEST 2018

Jovens no Genfest de Campina Grande

O GENFEST é um evento internacional, organizado por jovens de diferentes credos e etnias, de 5 em 5 anos, com o objetivo de difundir por meio de palestras, workshops, comunhão de experiências e muita alegria, diversas formas de se viver pela fraternidade.

Enquanto o Genfest internacional de 2018 teve como palco a cidade de Manila, nas Filipinas, outras edições regionais aconteceram. No Brasil, ANPECOM esteve presente em duas das maiores.

 

Na Paraíba, a ANPECOM realizou um Painel da EdC para cerca de 700 jovens. Além de teatro, o momento contou com a história e as práticas da EdC como uma ação de mudança social.

Em Vargem Grande Paulista, também no Genfest regional para o Sudeste e Centro Oeste, um dos workshops da programação era sobre a EdC e contou com a participação da ANPECOM. Ali, os jovens refletiram sobre as barreiras geradas pela economia e viram a EdC como uma das possibilidades de superação de desigualdades.

 

EdC e os jovens: Semana Mundo Unido

Em 2019, a iniciativa global denominada Semana Mundo Unido promovida pelo Movimento Jovens por um Mundo Unido teve como temática “Economia, trabalho e comunhão” e como lema: “Ninguém em necessidade”.

Por meio de atividades sociais, culturais e esportivas, os jovens brasileiros colocaram em prática o tema com algumas ações.

Em São Paulo, promoveram, com o apoio da EdC, duas rodas de conversa: uma sobre “Consumo sustentável” e outra sobre “Consumo consciente e educação financeira”.

“A roda de conversa, realizada na Semana Mundo Unido, me auxiliou dando um norte, uma base para poder começar a controlar melhor o dinheiro e a não ter medo de investir. E, principalmente, ter noção de que quando estou bem, financeiramente, consigo ajudar melhor o meu próximo”, comentou Thaygonn, um jovem de São Paulo.

Oficinas de empreendedorismo durante a Semana Mundo Unido, em Estiva

E Carlos Eduardo Araújo, que esteve na roda de “Consumo consciente” completou: , “Fizemos muitas reflexões que eu jamais pensaria. Como, por exemplo, quantas vidas existem por trás de um produto que eu escolho, e quanto eu posso impactar o mundo pesquisando sobre as condições em que ele foi produzido para realizar uma escolha mais consciente. Tenho certeza que vou pensar melhor na hora de consumir.”

No Nordeste, mais especificamente no Piauí e no Maranhão, os jovens também partiram de princípios da Economia de Comunhão para trabalhar a temática da Semana Mundo Unido.

Cerca de 70 pessoas da comunidade carente da Estiva, no município de Caxias, no Maranhão, participaram de um dia de vivência em economia, trabalho e comunhão. Como parte da programação, ouviram de uma profissional de coach sobre potencial e ação, e participaram de oficinas de empreendedorismo como fabricação de alfajor, de sabão, café cremoso, confecção de pulseiras, entre outras.

“Foi um domingo com muitos frutos e aprendizado, no qual as pessoas se envolveram na ideia da comunhão e de alguma forma todos colaboraram. Tanto a palestra como as oficinas deram às pessoas a possibilidade de se reinventarem e observarem que temos muito para doar e viver uma plena comunhão”, escreveram os jovens nordestinos.

 

EdC e os jovens: voluntários na Anpecom

Também a ANPECOM abre suas portas para os jovens. Boa parte da diretoria é composta por membros jovens, além de voluntários que dão uma preciosa ajuda ao dia a dia de funcionamento da associação.

É o caso de Rafaela Bucci, de 27 anos, que é voluntária de marketing na ANPECOM. “A EdC é essa nova cultura empresarial, enraizada na fraternidade e de forma genuína, que me faz acreditar que vale a pena lutar para a tornar cada dia mais uma realidade concreta nos diversos setores da economia. Senti vontade de me voluntariar e contribuir com a ANPECOM, por meio do marketing. Como aprendizados, além de questões técnicas da área, compreendo a cada dia a dimensão da EdC, o que confirma a importância desse voluntariado.”

 

EdC e os jovens: programa de vivência na Mundell Associates, EUA

O projeto EdC no Brasil também apoia a presença de jovens brasileiros no programa de vivência em Economia de Comunhão, realizado por John Mundell em sua empresa, em Indianápolis, nos Estados Unidos.

Por cerca de 3 meses, os jovens trabalham em projetos que beneficiam não só os objetivos e metas da empresa, mas também a comunidade local, sob uma perspectiva de comunhão.

Raiana (de roxo, à direita) durante o Programa de Vivência na Mundell

Raiana Lira, participou do programa em 2015 e de lá pra cá muita coisa mudou em sua vida e carreira profissional.

“O programa mudou a minha perspectiva sobre a economia, sobre como gerar riqueza e também o meu entendimento de como pode ser impactante ter uma prática econômica que coloque a pessoa no centro. Foi uma experiência completamente transformadora na minha carreira. Sou da área ambiental e quando voltei não queria só me dedicar a área acadêmica como era o original, mas decidi me lançar na EdC no Brasil. Gerenciei uma incubadora de impacto social da ANPECOM e hoje trabalho formando profissionais que querem trabalhar com transformação social.”

EdC e os jovens: atuação da juventude nas comissões da Economia de Comunhão

Júlio César, de laranja, com outros jovens da Comissão EdC em Curitiba

Também é possível que os jovens se envolvam com a EdC em suas cidades, participando das comissões locais da Economia de Comunhão. Com novas ideias e muita energia, eles contribuem ativamente para o desenvolvimento local do projeto.

A comissão de Curitiba conta com a atuação de Júlio Cesar, de 26 anos. Compondo a comissão, ele tem a oportunidade de mergulhar na teoria e na prática da EdC. O que para ele tem sido uma experiência de novas descobertas.

“É comum ouvir daqueles que se colocam na vanguarda das inovações em gestão alguns chavões como “comunicação não violenta”, “foco no cliente”, “sonho grande”, “agregar valor à sociedade”, “pró-atividade”, “propósito”, “colaboração”, “impacto social”, “eliminar desperdícios”, etc. Todas estas novas iniciativas de gestores corroboram com um novo paradigma dos negócios, que é a pessoa humana como finalidade dos seus exercícios. E esse é o cerne da Economia de Comunhão. Participar da comissão é poder cultivar em mim esta realidade, e também me empenhar na organização de eventos para que mais pessoas como nós se conectem à EdC.”

EdC e os jovens: empresários da comunhão

Dariene (rerceira à esquerda, na fila de trás) com jovens interessados na EdC

A Economia de Comunhão também cativa e envolve jovens empresários brasileiros. A partir dessa nova cultura centrada no ser humano, eles transformam as relações interpessoais em suas companhias e a relação ética também com clientes e fornecedores.

É o que conta a jovem empresária Dariene Tedesko, de 31 anos, que é proprietária de um negócio na área de saúde. “Acredito que a EdC está presente em cada pequeno gesto, pequenas decisões tomadas diariamente. Não consigo imaginar minha vida ou a empresa diferente disso. Conhecer a EdC me ajudou a manter esses valores sempre vivos. E poder trocar experiências com outras pessoas que também possuem essa cultura me torna mais forte por saber que faço parte desta rede”

 

EdC e os jovens: oficinas e workshops de empreendedorismo

Jovens participantes de oficinas de empreendedorismo

Além dessas iniciativas, a ANPECOM também promove oficinas e workshops de empreendedorismo para jovens que se encontram em situação de vulnerabilidade econômica. Ao todo, mais de 280 jovens já participaram das nossas formações nos últimos 3 anos. E até o final deste ano, mais 80 jovens receberão formação empreendedora no Estado do Ceará.

As formações trabalham o autoconhecimento, competências pessoais e gestão de negócios com o objetivo de estimular o empreendedorismo e a geração de renda.

Um projeto que significa muito mais do que beneficiar a juventude, mas principalmente incluí-los no protagonismo da Economia de Comunhão no Brasil. É de se destacar que muitos deles passam a integrar a rede e se tornam pontos de apoio para a ANPECOM.

 

Para saber como participar na sua cidade escreva para: anpecom@anpecom.com.br

 

 

Autor: Cibele Lana