ANPECOM - Associação comercial por uma economia de comunhão. Logomarca da ANPECOM, composta por meio globo mostrando o mapa do Brasil seguido do nome da associação

Profor 2019 – Conheça a estrutura de nosso projeto de fomento ao empreendedorismo

08/07/2019
Segundo ciclo de nosso programa de fortalecimento de negócios inclusivos de comunhão

Edital e inscrições

Em 12 de Agosto de 2019 foram abertas as inscrições para a edição do Profor 2019, você pode conferir o edital aqui e realizar sua inscrição preenchendo este formulário.

Edital PROFOR 2019

Formulário de inscrição

O que é o PROFOR?

O PROFOR, nosso programa de fortalecimento de negócios inclusivos de comunhão está em seu segundo ciclo. A  experiência de três anos de atuação, permitiram a compreensão de que nosso diferencial é o acompanhamento personalizado no contexto da experiência de Economia de Comunhão, que possibilita a proximidade necessária para identificar os problemas reais do empreendedor e do empreendimento, permitindo maiores possibilidades de obter sucesso no negócio e por consequência, aumentando a rede de empresas motivadas por valores e propósitos na sociedade.

O método e meios utilizados para desenvolver o PROFOR baseiam-se no princípio da reciprocidade, um dos pilares do movimento EdC. Assim, o empreendedor é visto como agente de transformação socioambiental porque é entendido como membro de uma comunidade global que doa e recebe, promovendo uma retroalimentação positiva. Ele é capaz de fomentar o desenvolvimento em sentido amplo, ainda que expresso em pequenas atividades. Serão eles os protagonistas durante todo o processo de incubação: em primeira pessoa desenvolverão o modelo e o plano de negócio, utilizarão ferramentas de gestão e  de desenvolvimento pessoal; serão acompanhados durante todo o processo de capacitação para garantir que, após o processo de amadurecimento do seu empreendimento, ele se encontre adequadamente preparado para dar continuidade a sua atividade produtiva.

Segundo o Sebrae, o  Brasil possui hoje 54 milhões de empreendedores. Isso significa que, a cada cinco pessoas, três delas empreendem. A questão central está no tipo de empreendedorismo predominante no país, uma atividade nominada: empreendedorismo de sobrevivência. Não se trata de empreendedores que empreendem por vocação ou por oportunidade de negócio, são pessoas que estão desempregadas e empreendem para sobreviver.

Considerando o atual cenário político e socioeconômico do país, entendemos que a maior contribuição a ser oferecida pela  Economia de Comunhão para esta problemática, é direcionar os seus projetos de empreendedorismo a empreendedores localizados na base da pirâmide, oferecendo-lhes instrumentos de gestão básicos para o desenvolvimento de seus negócios na perspectiva de EdC, na qual a atividade econômica é construída a partir de relações autênticas de comunhão reciprocidade.

Foco na criação de uma gestão empreendedora básica competente

A Economia de Comunhão tem suas raízes nas empresas. Chiara Lubich fala em seu discurso de 1991 sobre empresas e empresários competentes. A competência é um dom, mas também pode ser construída por meio do aprendizado contínuo. Neste sentido, os projetos de formação empreendedora visam colaborar para a criação ou consolidação de negócios competentes, que tenham condições de sobreviver ao ambiente institucional e econômico brasileiro (hostil aos pequenos e médios empreendedores).

Uma “empresa” de Economia de Comunhão é uma empresa, que como qualquer outra, enfrenta desafios e busca meios para se tornar sustentável. Portanto, é necessário desenvolver as capacidades empresariais básicas de gestão de forma pontual para que os requisitos essenciais do negócio, sejam fortalecidos pelas linhas da cultura da EdC.

Ambas as dimensões, competência empresarial e cultura da EdC devem caminhar intimamente ligadas e equilibradas. Ser uma empresa da EdC também é buscar excelência na gestão dos negócios, esta premissa é fundamental na construção e desenvolvimento dos projetos.

Foco no desenvolvimento pessoal do empreendedor

A experiência mostra que o diferencial do PROFOR é identificar  necessidades pessoais dos empreendedores e a partir deste princípio, apresentar as práticas de gestão de negócios e desenvolvimento pessoal dentro do contexto da experiência de Economia de Comunhão, desde a concepção do projeto e as relações virtuosas que nascem a partir dele.

O objetivo é colaborar para a criação de empresas competentes, a partir de empreendedores comprometidos com um propósito de valor para a comunidade em que está inserido. Pessoas realizadas e equilibradas emocionalmente, tem maior capacidade de realizar negócios promissores.

PROFOR parte desta experiência relacional, pois um projeto da EdC é capaz de liberar uma gama de potencialidades e virtudes empreendedoras. O maior resultado é compartilhar riquezas e reduzir pobrezas, em suas múltiplas dimensões.

Foco em pessoas em situação de vulnerabilidade econômica

A EdC nasce a partir da constatação de que apesar do sistema econômico gerar riquezas, o modo como este sistema está estruturado, resulta em milhares de pessoas que não conseguem ter acesso a estas mesmas riquezas. Neste sentido, o  PROFOR consiste em ser uma porta de acesso das pessoas em situação de vulnerabilidade econômica a uma participação mais ativa neste sistema, seja através do acesso a produtos, da inclusão produtiva ou do empreendedorismo.

Para quem o PROFOR 2019 é destinado?

Jovens que desejam ter formação empreendedora básica e empreendedores localizados na base da pirâmide, que já tenham protagonizado a formação empreendedora nos projetos da ANPECOM em 2017, 2018 e 2019.

Nossa missão

Oferecer formação empreendedora básica em gestão de negócios e desenvolvimento pessoal no contexto de uma experiência de Economia de Comunhão.

Como o processo acontece?

  1. Capacitação de 100 jovens por meio de cinco oficinas a serem realizadas no Estado do Ceará em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Estado;
  2. Edital de seleção para que 12 jovens empreendedores participem do processo de incubação;
  3. Oficina de capacitação dos jovens selecionados para início da incubação;
  4. Acompanhamento dos empreendedores por meio de consultoria em gestão de negócios e desenvolvimento pessoal num período de 6 meses;
  5. Workshop Desafio jovem empreendedor do Ceará.

Cronograma

Etapa 1 – Oficinas de Empreendedorismo 

  • 10 a 16/6: Comunidade Dias Macedo – CE
  • 24 a 30/6: Vazantes, Aracoiaba – CE
  • 15 a 21/07: Belém, Bela Cruz – CE
  • 29/07 a 04/08: Sitio Novo, Jaguaretama – CE
  • 12 a 18/08: Córrego da Ramada – CE

Etapa 2 –  Edital de seleção

  • Edital de seleção: 01 a 20 de agosto/2019
  • Seleção dos projetos: 26 de agosto a 6 de setembro/2019

Etapa 3 –  Oficina de capacitação de início da incubação

  • Oficina de capacitação: 26 a 29 de setembro/2019

Etapa 4 –  Acompanhamento dos empreendedores

  • Consultorias em gestão de negócios e desenvolvimento pessoal: 15 de outubro/2019 a 30 de abril/2020

Etapa 5 – Workshop 

  • Desafio Jovem empreendedor do Ceará: 16 de novembro de 2019

Modelo do projeto

O formato de apresentação do modelo de negócio escolhido para a estruturação do projeto é o Modelo C. Este foi concebido com base no Canvas Business Model. É assim denominado por contemplar 5 atributos que, em português, iniciam a letra “C”: completo, compreensível, colaborativo, constante e conteúdo dinâmico, tornando-se uma alternativa de visualização panorâmica do Projeto.

A relevância na utilização deste formato, remete à integração holística de fluxos distintos, que se unem para levar a um resultado mais eficaz, a exemplo da EdC, na fusão da economia e a comunhão. Esta concepção se projeta ao integrar o cuidado com o desenvolvimento pessoal do empreendedor, o projeto de negócio e o relacionamento com a comunidade. O resultado busca um impacto coletivo à medida que estes empreendedores começam a atuar dentro ecossistema de empreendedorismo.