ANPECOM - Associação comercial por uma economia de comunhão. Logomarca da ANPECOM, composta por meio globo mostrando o mapa do Brasil seguido do nome da associação

Anpecom apoia o Projeto Geração do Futuro

27/07/2019
Capacitação de jovens do ensino médio para iniciativas empreendedoras no mundo do trabalho

Dentre os afetados pelo crescente no número de homicídios no Brasil, os jovens formam o grupo que se destaca. Representando 53,7% das vítimas totais no país (ou seja, 33.590 óbitos), eles ainda são majoritariamente homens. Mais especificamente, 94,6% deles são homens, sendo os de 15 e 29 anos a principal fatia da população afetada pelos assassinatos violentos.

Na década entre 2006 e 2016, o Brasil assistiu a um aumento de 23,3% nos assassinatos de seus jovens. Homicídio é a causa de 49,1% das mortes de jovens entre 15 e 19 anos, e 46% das mortes entre 20 a 24 anos. Esse índice é bem diferente do grupo de brasileiros entre 45 e 49 anos, por exemplo, que é de 5,5%.

Junto as causas a violência está o envolvimento com o uso e o tráfico de drogas, provocados por uma falta de perspectiva de futuro e baixa empregabilidade dos jovens.

A Sociedade Movimento dos Focolares – SMF , em resposta a esse cenário, desenvolveu o Geração de Futuro – Um projeto de Capacitação de jovens do ensino médio para iniciativas empreendedoras no mundo do trabalho que foca na situação especialmente delicada de jovens, nos municípios paulistas de São Roque e Vargem Grande Paulista, de escolas públicas do ensino médio, que enfrentam grande dificuldade, ao concluírem o curso, de encontrar oportunidades seja no ensino superior seja em empregos na região.

O objetivo maior do Projeto é:Preparar jovens do ensino médio para o mundo do trabalho numa visão empreendedora.

A pergunta/provocação à qual se pretende responder é: como incentivar e apoiar jovens estudantes do nível médio, de escolas públicas, a serem empreendedores e a iniciar e desenvolver seus negócios com mais preparo, estrutura e menos fatores de riscos, gerando mais oportunidades e desenvolvimento para eles e suas comunidades?

Tal projeto se insere, então, numa estratégia liderada pela entidade proponente de fortalecimento de Competências para Vida, que busca desenvolver nos jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica e/ou afetiva, as competências cognitivas, interpessoais e intrapessoais que lhes possam assegurar suficientemente seus próprios projetos de vida no que respeita ao estudo e trabalho, e no que concerne à escolha de estilos pessoais saudáveis, sustentáveis e éticos.

A pretensão inerente é a de que o projeto sirva de modelo/estímulo a empresas, OSC e governos a planejar, testar, implantar e replicar negócios inclusivos e projetos de estímulo e apoio ao empreendedorismo para públicos de baixa renda, promovendo assim o desenvolvimento econômico e social – e isso sob a inspiração de uma Economia da Comunhão.

O Projeto Geração de Futuro entende ser importante adotar e expor referências que possam inspirar fortemente sentido e significado de vida para os jovens. O Projeto funcionará como terra fértil no seio da qual os jovens verão e farão atos transformadores, a partir da orientação de professores/monitores, atos estes que deverão influenciar positivamente suas trajetórias, marcando-as de forma indelével.

Para tanto, a estratégia escolhida será uma capacitação básica dos jovens em competências pessoais e sociais, empreendedorismo e TIC – Tecnologia da Informação e Comunicação, como meio, para que se avance num foco muito dirigido, que é o de instigá-los à criação (individualmente ou em grupo) de soluções profissionais empreendedoras.

Os jovens de cada turma frequentarão, por quatro meses, as aulas, palestras e atividades programadas sob o amparo da formação integral e multidimensional; da base de conhecimentos e de valores, e do aprimoramento de um conjunto amplo de competências que lhes possibilitem seguir aprendendo nas várias dimensões da sua vida, executando projetos, inserindo-se na vida produtiva e dirigindo seu futuro.

Vários temas básicos, como autopercepção, percepção do outro, trabalho em equipe, autoconhecimento, auto regulação,  comunicação, comunidade, respeito, ética, etc., serão assentados e funcionarão cada qual como eixo-guia da formação, de onde derivarão as especificidades.

As aulas terão inicio ainda no mês de agosto e nós da Anpecom estamos apoiando e acompanhando de perto o desenvolvimento dessa formação.