ANPECOM - Associação comercial por uma economia de comunhão. Logomarca da ANPECOM, composta por meio globo mostrando o mapa do Brasil seguido do nome da associação

2019

Primeiras palavras da Anpecom

Concluímos mais um ano juntos envolvidos pela causa da Economia de Comunhão, que hoje integra um movimento global de novas economias que avançou significativamente nos últimos anos.  De fato, em tempos de tantas crises e desafios, o mundo e a economia exigem de nós soluções e propostas inovadoras e geradoras de novas cadeias de valor e de novos modos de construir a vida, produzir e consumir. Afinal, uma nova cultura é formada assim.

Acreditamos que essa nova cultura nasce mundialmente e constitui-se dos nossos projetos e propósitos, estes últimos convertidos em ações locais. Sim, o mundo está cheio de novas narrativas e novos anúncios de tempos melhores. Mas é preciso começar de algum lugar.

Então, aqui estamos juntos com vocês, revivendo e reavaliando o ano de 2019.

Nossos números são singelos e nossas ações locais parecem desaparecer ao lado dos números que delatam o desemprego, o crescimento da pobreza e da violência. Porém, acreditamos que, articuladas, integram novos desenhos de um mundo melhor, pois nascem de cidadãos, empresários e empresas autenticamente comprometidos com esse proposito e com as pessoas.

Maria Helena Ferreira Fonseca Faller e Marcelo Massayuki Cassa

Por trás de cada número existe uma história de vida e isso é o que fundamenta nossa associação.

Iniciamos o ano de 2020 envolvidos com o evento mundial Economia de Francisco, um prelúdio de um grande anúncio de tempos de maior justiça, liberdade e igualdade, de uma nova comunhão mundial. A Economia de Comunhão assume esse desafio em escala global com outros movimentos econômicos.

Precisamos de você para avançar!

Maria Helena e Marcelo

Mobilização EdC

Chiara Lubich
“Com essas empresas e outras atividades que vão nascer, temos que recolher a comunhão e distribuir, de modo que não haja ninguém pobre. Enquanto não atingirmos esse objetivo, não podemos descansar.”

A frase acima, de Chiara Lubich, foi dita logo na fundação da Economia de Comunhão (EdC). E é essa racionalidade da comunhão que permite à EdC, após 28 anos de seu nascimento, ainda se deter em suas raízes carismáticas: na opção preferencial pelos pobres e na ética do trabalho.

A Anpecom é responsável por articular e representar a Economia de Comunhão no Brasil. O incentivo ao empreendedorismo, os projetos que objetivam reduzir os efeitos da pobreza e as iniciativas de disseminação da cultura da EdC são os caminhos que trilhamos para atingir seus objetivos.

Rede Nacional EDC

 

Localmente as comunidades e comissões de EdC tem se encontrado e promovido eventos com o propósito de aprofundar, difundir e contribuir no desenvolvimento dos princípios da EdC. Os membros da nossa rede atuam com autonomia e criatividade, segundo as características e cultura de cada região.

A Anpecom procura apoiar e motivar cada grupo.  – Comissões em 11 estados brasileiros – Mais de 40 encontros realizados – Estiveram presentes aproximadamente 1800 pessoas – Mais de 200 associados na Anpecom.

Esses eventos buscaram gerar networking e novas oportunidades de negócios para fortalecimento da rede. Nosso propósito é tornar a rede de empresas e empresários comprometidos com a EdC mais forte e visível, visando aumentar nossa presença institucional na sociedade brasileira.

 

Eventos realizados:

  • Cafés Empresariais
  • “Happy Hours” da EdC
  • Painéis do Empreendedorismo
  • Reuniões Empresariais
  • Estratégia para o mundo 4.0
  • Palestras sobre a EdC – Business School da Universidade Católica de Pernambuco
  • Feiras de consumo consciente
  • Rodas de Conversas
  • Palestra sobre a EdC – Curso de qualificação profissional Aldeias Infantis
  • Encontros e visitas a empresas socialmente responsáveis e/ou que geram impacto social e ambiental;
  • Fórum Nacional de Empreendedorismo
  • Encontro de Imersão da EdC

Empresários de EdC

Conheça alguns dos empresários da nossa rede e veja como, por meio dos seus negócios, eles impactam e constroem uma sociedade melhor. 

 

Uma jovem veio até a VSM para assinar os papéis de sua demissão porque nosso escritório fazia a contabilidade da empresa em que ela trabalhava.

Quando chegou, procurei interessar-me por ela. Era jovem, não tinha o Ensino Médio completo. Durante o nosso diálogo, notei que ela teria dificuldade para se recolocar no mercado de trabalho por seu perfil e por seu currículo.

Pouco tempo depois, surgiu uma vaga de atendente na minha empresa.Lembrei-me dela.

Tem dois anos que ela trabalha conosco e recentemente ela começou a cursar uma faculdade.

Vania Trindade – Empresária na VSM Gestão Contábil e Empresarial em Belém (PA)

Giovani Bruno Barbosa

Em 2016 minha família havia iniciado um negócio local de alimentação saudável.  Mesmo sem um planejamento adequado, o empreendimento parecia ter grande chance de transformar a realidade da minha família.

Optei por me aventurar em empreender e auxiliar aquele negócio a crescer, baseando a gestão e os relacionamentos ali cultivados nos valores da EdC. Por três anos, dediquei-me exclusivamente a esse negócio, o que garantiu seu crescimento sólido. Mas, ainda que produzisse lucro, não tinha um custo-benefício condizente com esforço empregado.

Neste ano, optamos por encerrar as atividades e nos dedicarmos a outras formas de atuar na Economia de Comunhão. Outros administradores assumiram o negócio e nós ficamos contentes por termos feito a nossa parte, acreditando ser a distribuição de lucros apenas um dos pontos em que é possível viver a realidade da EdC. Saber que há tantas outras formas de viver nos permitiu ter serenidade ao mudar de estratégia.

Giovani Bruno Barbosa – Empresário na Boutique Natural em Apucarana (PR)

Na nossa empresa, do setor de serviços financeiros, entendemos que nosso negócio é servir as pessoas, sejam clientes, funcionários ou parceiros. Percebemos que quanto mais felizes estão nossos funcionários, melhores são os serviços prestados aos clientes.

Assim, baseados nessa observação e no desejo de ter um ambiente de trabalho feliz e colaborativo, criamos um programa de desenvolvimento pessoal chamado Hábitos de Sucesso.

Nesse programa, convidamos os funcionários a viver, em um dia específico, ações livres e autodeterminadas que vão ao encontro do próximo, tais como: o dia de praticar a gratidão, o dia do elogio, o dia de fazer diferença na vida de alguém, o dia de aprender/ensinar algo novo e o dia de exercitar a força de vontade.

O compartilhamento das ações entre os membros da equipe gerou um engajamento de todos funcionários e uma corrente de ações positivas que transcende o ambiente de trabalho, influenciando a vida pessoal, familiar e até mesmo da comunidade ao nosso redor.

Alexandre Oliveira Caixeta – Empresário na Empresta Bem Melhor em Belo Horizonte (MG)

Compartilho aqui algumas experiências e impressões dos nossos funcionários:

“Este programa mudou a forma de vermos nossa rotina e mostrou que pequenas vitórias são importantes. Desde quando começamos com esse programa, já presenciei reconciliações familiares, reaproximações entre amigos que se afastaram por pequenos problemas. Melhorei muito minha auto confiança e descobri muitas coisas que não sabia sobre de mim. Posso afirmar que este programa mudou meu jeito de ser, minha liderança no meu time e no meu ambiente pessoal.”

Rafael –Garanhuns (PE)

“Hábitos de sucesso!! No início eu imaginei que era só algo a mais que a empresa estava implantado para a melhoria das lojas, mas, com o passar dos dias, eu fui descobrindo que esse programa não está envolvido só com o seu trabalho, mas também com a sua vida pessoal, com o seu desenvolvimento. Ele te ensina a viver um dia de cada vez e a enfrentar suas dificuldades e seus bloqueios.”

Anna Karla – Montes Claros (MG)

Fazendo a diferença na vida de várias pessoas, a unidade franqueada promoveu o Varal Solidário! Na ação, as pessoas fazem troca de roupas infantis, em espaço localizado ao lado da loja. Uma bela iniciativa da gerente Daniela e sua equipe. As crianças agradecem!

Como os resultados do programa Hábitos de Sucesso, obtivemos significativa melhora no trabalho em equipe, nas relações entre as pessoas, nos resultados operacionais, mas, sobretudo, no cumprimento da nossa missão, que é servir as pessoas.

 

Censo 2019

Em 2019 realizamos um censo para a atualização do número das empresas de EdC no Brasil. Ao longo do tempo, as informações vão perdendo qualidade, por isso sentimos a necessidade de um panorama mais consistente das empresas ligadas a nós.

Nesse censo contemplamos as empresas de EdC, as empresas associadas à Anpecom e as empresas aderentes ao projeto.

Objetivos do censo:

Compartilhamos com vocês alguns aspectos que os empresários aderentes à EdC afirmaram ser, para eles, o mais importante aspecto da EdC:

“Na EdC a pessoa está no centro do processo”.

“O sonho de construir uma sociedade mais justa. Essa realidade está plenamente ao meu alcance. Formar uma nova cultura relacional, possibilitar mudanças internas nas pessoas, gerar empregos e, sobretudo, fazer comunhão.”

“Uma empresa de EDC é um laboratório de uma NOVA CULTURA ECONÔMICA. Disso não tenho nenhuma dúvida. Sinto-me A CAMINHO. Todos os dias penso: Qual meu avanço na EDC hoje? Após quase 30 anos posso dizer: Diariamente renovo meus sonhos e devo isso à EDC.”

“A busca por entender como as empresas individual e coletivamente podem gerar impacto positivo na comunidade em que estão inseridas.”

“Os seus princípios e, em especial, a destinação de parte dos lucros para diminuir a pobreza.”

“Compartilhar experiências e crescer olhando para o próximo.”

“Os valores de amor e respeito presentes nos negócios e relações com clientes, funcionários e fornecedores.”

Supera: novidades para 2020

O SUPERA – Programa de Superação da Vulnerabilidade Econômica – tem por objetivo reduzir os efeitos da pobreza por meio do desenvolvimento da plena autonomia da pessoa e do reconhecimento de sua dignidade.

 

O SUPERA, que até agora financiava apenas projetos individuais e familiares, a partir de 2020 passará a financiar projetos sociais geridos por organizações da sociedade civil (OSC) situadas geograficamente no interior de comunidades periféricas e vulneráveis, participantes do ecossistema das organizações vinculadas ao Movimento dos Focolares no Brasil e ao projeto UNIRedes.

Os objetivos e ações do projeto devem visar a formação humana, política e cultural de lideranças em comunidades vulneráveis, promovendo o protagonismo, empoderamento e transformação social e incentivando o voluntariado social.

A nova fase do SUPERA compreende uma reformulação do regulamento do programa, em que o processo de seleção passou a acontecer através de edital.

O primeiro processo teve suas inscrições concluídas no dia 6/12, com a participação de 6 organizações. A seleção dos projetos será feita por uma comissão avaliadora.

Campanha Comunhão e Ação 2019

A sustentação financeira do SUPERA acontece por meio da arrecadação de recursos realizada todos os anos com a campanha Comunhão e Ação, um financiamento coletivo aberto que mobiliza diversas pessoas e empresas em todo o Brasil. Temos doações mensais de valores que variam de R$ 20,00 a grande valores. Trata-se de uma campanha que institucionalizou a prática da comunhão de bens e a tornou acessível a todas as pessoas que desejam fazer algo para reduzir a pobreza. Trabalhamos intensamente em ações de marketing digital para dar amplo alcance ao SUPERA e à prática da comunhão de bens.

Este ano intensificamos o contato pessoal com os empresários, recordando a centralidade da comunhão de bens para quem adere à EdC, e aumentamos a difusão da campanha em encontros da rede e do Movimento dos Focolares. Esse contato mais próximo favoreceu momentos de diálogo e maior envolvimento com o propósito do SUPERA.

Pela primeira vez, ultrapassamos a casa dos R$ 300 mil. Isso significa um aumento de 22% em relação a 2018.

Podemos concluir que Comunhão & Ação 2019 foi um sucesso, não apenas porque alcançamos a meta de arrecadação, mas porque conseguimos aumentar o número de pessoas e empresas que apoiam o programa e acreditam que seus participantes são os protagonistas de sua própria história de superação.

 

 

Participantes do SUPERA em ação – Reciprocidade

Em 2019, fomentamos histórias de superação por todo o Brasil. Todos os participantes foram acompanhados pessoalmente pela nossa equipe, antes e durante o desenvolvimento do projeto.

Camila C. Leofico – Belo Horizonte (MG), estudante de Educação Física, recebe apoio do SUPERA no eixo da Educação. Com o SUPERA aprendi que também eu tenho algo para doar, tenho meu tempo e minha experiência no handebol.

Assim comecei a treinar os alunos de uma escola, mas, vendo a importância de conseguir envolver outras crianças que se encontravam em situações de risco, criei um projeto de handebol e futsal: Projeto RenascerS7. Atualmente 106 crianças e adolescentes de 8 a 17 anos participam do projeto.

Trabalhamos muito com a ideia de que o jogo é como a vida: ganhamos, perdemos, temos dificuldades, erramos e acertamos, mas nunca podemos desistir e sempre devemos acreditar que somos capazes de vencer.

No mês de novembro, Camila recebeu o prêmio Mineiro de Melhor Treinadora de Handebol.

Gratidão, esse é o sentimento que tenho hoje por pessoas que me ajudaram, algumas das quais tive o prazer de conhecer pessoalmente e outras carregarei no coração sem nunca ter visto o rosto. Cidadãos que acreditam na Anpecom e no SUPERA. Divorciada desde 2010, levo para frente sozinha o sustento e educação de dois filhos, o que jamais me impediu de sonhar…

O auxílio recebido possibilitou a reforma da nossa casa. A sala com paredes de madeira agora é de alvenaria e tem janelas de ventilação para os quartos dos meus filhos.

Raquel dos Santos

Tarcivan Tavares tem 28 anos, é natural de Parintins no interior do Amazonas e atualmente reside em Manaus para cursar Odontologia na Universidade Estadual do Amazonas. Recebe um auxílio para os custos com sua educação e para realizar o sonho de ser um dentista.

“A Economia de Comunhão é uma parceira que caminha comigo em busca desse sonho. Cada centavo dessa ajuda é transformado em um suspiro de esperança para realizá-lo.”

Clique aqui e conheça melhor o Tarcivan e sua história.

PROFOR

 

O Programa de Fortalecimento de Negócios Inclusivos de Comunhão (PROFOR) é a incubadora de negócios de impacto social que nasceu para promover o empreendedorismo a partir da cultura da Economia de Comunhão.

O PROFOR começou, em 2019, seu segundo ciclo. A experiência no primeiro ciclo e nossa participação em processos avaliativos desenvolvidos por organizações do âmbito dos negócios de impacto social permitiram a compreensão de que o diferencial do PROFOR é o acompanhamento pessoal dos empreendedores, a partir de seu contexto sociocultural.

A partir disso, apresentam-se as práticas de gestão de negócios e desenvolvimento pessoal dentro do contexto da experiência de Economia de Comunhão.

No segundo ciclo, decidimos oferecer formação empreendedora básica e incubar 12 empreendimentos. Para isso, realizamos 5 oficinas de empreendedorismo e formamos  100 jovens.

Lançamos um edital e selecionamos os 12 jovens que terão seus negócios incubados, em um processo que contempla:

– Oficina de imersão

– Capacitação dos jovens selecionados para início da incubação

– Acompanhamento dos empreendedores por meio de consultoria em gestão de negócios e desenvolvimento pessoal em um período de 6 meses;

Oficina de imersão

Foram compartilhados conteúdos e experimentadas dinâmicas de desenvolvimento pessoal e de gestão de negócios, abordando as linhas de gestão em EdC – nosso principal diferencial.

Para melhor aproveitamento dos participantes e melhor contribuição dos facilitadores (seja na oficina, seja no acompanhamento), foram identificados e estudados os perfis pessoais (a cargo de consultores de desenvolvimento pessoal) e perfis empreendedores (realizados por consultores de gestão), por meio de questionários respondidos pelos jovens.

Em relação à gestão, a ferramenta Canvas foi utilizada para analisar o modelo de negócio atual e identificar possibilidades de incremento. Ao Canvas tradicional foi inserido o quadro “visão de impacto”, com o objetivo de visualizar possibilidades de impacto na vida pessoal do empreendedor, em sua família e em sua comunidade.

A oficina foi ministrada em uma estrutura que oferecia espaço necessário para todas as atividades num só lugar.

Nesse segundo ciclo, buscamos maior aproximação com os participantes, mesmo nos momentos extracurriculares. A maioria dos consultores e facilitadores ficou hospedada no mesmo espaço e conviveu com os jovens nos intervalos e nos momentos de folga. Isso foi muito importante para criar vínculos entre todos.

Ressalte-se que, na primeira noite, os jovens se reuniram, porém cada um com seu celular, consultando seus dispositivos a cada momento. Na última noite, entretanto, nenhum deles levou o celular, para poderem aproveitar ao máximo aquela que seria a noite de fechamento de uma etapa de autoconhecimento e de conhecimento da realidade dos demais. Muitas realidades e experiências íntimas foram compartilhadas, numa genuína experiência de comunhão.

Conheça alguns dos empreendedores selecionados e saiba mais sobre nossas oficinas em nossa matéria:

Empreender para transformar: oficinas de incubação do PROFOR promovem desenvolvimento pessoal e de negócios para jovens

Em que etapa estamos agora?

Após a Oficina de Imersão, os 12 empreendedores participarão de encontros mensais de acompanhamento pessoal e acompanhamento dos projetos. O Canvas desenvolvido na oficina será o “mapa de voo”, que ajudará a identificar o escopo do plano de ação a ser desenvolvido conjuntamente pelo empreendedor e pelo consultor em gestão.

PROFOR faz intercâmbio de 8 dias com Programa de Turismo Sustentável na Argentina(TSNOA)

Representantes do PROFOR viajaram para a Argentina para conhecer de perto o programa TSNOA, com o objetivo de realizar intercâmbio de práticas e estratégias de desenvolvimento de projetos. O encontro surgiu por intermédio da Associazone Mondo Unido (AMU), organização internacional de origem italiana que é financiadora dos dois programas e notou que o intercâmbio poderia gerar aprendizado e crescimento mútuos. Com a visita, foi possível observar com clareza o impacto efetivo e direto do programa TSNOA e, na bagagem, os técnicos trouxeram muitas ideias.

Carlos Xavier afirmou que ver a experiência do Programa TSNOA, sendo eles consultores e empreendedores, justamente no momento em que iniciamos o acompanhamento dos empreendedores do ciclo 2 do Profor, foi providencial, oportuno e favorável. Contribuiu para identificar todas as oportunidades ocultas nas aparentes limitações e adversidades que os empreendimentos dos jovens enfrentam.

 

Quer saber mais sobre essa visita?

Acesse nossa matéria: Profor faz intercâmbio de 8 dias com Programa de Turismo Sustentável na Argentina

Disseminação EDC

 

Centro Filadélfia

O Papel do Centro Filadélfia

Em meados de 2018, o Centro Filadélfia de Estudos e Pesquisas em Economia de Comunhão (CF) iniciou um processo de reorganização de seu escopo. O resultado desse processo de redefinição segue abaixo.

Quem somos?

Somos um Centro de Estudos e Pesquisas em Economia de Comunhão, formado por pesquisadores engajados nas universidades e instituições de pesquisa.

O que queremos?

Formar uma rede de pesquisadores, reconhecidos em seus campos de atuação, que produzam e compartilhem conhecimentos a respeito de temas relacionados à Economia de Comunhão.

O que fazemos?

Atuamos como facilitadores, auxiliando interessados em estudar assuntos relacionados à EdC a conectarem-se uns com os outros.

Produzimos artigos científicos, entre nós ou em parceria com pesquisadores externos, sobre EdC e temas correlatos, no intuito de ampliar o conhecimento acadêmico sobre temas, práticas e valores da EdC nos diversos campos do saber.

Pesquisa acadêmica

No ano de 2019, surgiu a proposta de publicarmos artigos para a Revista Cadernos de Campo, uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara (Fclar) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Foi a oportunidade de, pela primeira vez, fazermos a experiência de publicar artigos científicos em coautoria. Desse trabalho resultaram dois artigos, que foram publicados em setembro de 2019 e fazem parte da edição intitulada “Movimentos sociais econômicos na contemporaneidade: teoria e experiências”.

Os títulos desses documentos são: “Economia de comunhão: antecedentes, concretização, desafios e perspectivas” e “Conhecimento acadêmico no campo das organizações híbridas e das empresas de economia de comunhão.” Ambos estão disponíveis na sessão:

Movimentos sociais econômicos na contemporaneidade: teoria e experiências

Cooperação acadêmica

Cláudia Herrero Menegassi, uma das pesquisadoras do CF, que neste momento realiza um Pós-Doutorado no Istituto Universitario Sophia (IUS), esteve nesta instituição para participar da III PhD Week. Durante o evento, foi assinado um acordo entre o IUS e a Unicesumar, universidade onde Menegassi é docente da Pós-Gradaução em Gestão do Conhecimento nas Organizações.

Cláudia Herrero Menegassi e Cristina Souza Rosetto foram convidadas a participar das atividades de planejamento de Sophia ALC, compondo o grupo que discute a sustentabilidade econômica do projeto. Além disso, já participaram de cursos de formação para possíveis professores dessa instituição.

Novidade - Produto Anpecom

Na Assembleia de 2019, foi oferecido aos associados um novo produto para atender à demanda dos empresários que desejavam apresentar a cultura de Economia de Comunhão para seus colaboradores de forma consolidada. Desenvolvemos uma ferramenta que favorece o desabrochar “do melhor” de cada pessoa.

O Programa Pessoal para o Desenvolvimento de Capacidades Humanas (P²C²H) é um percurso de formação composto por três módulos – básico, intermediário e avançado – e visa promover o “florescimento humano” por meio de metodologias que despertam escuta, diálogo, confiança, reciprocidade e comunhão em todos os campos da vida, inclusive no âmbito do trabalho.

P²C²H trabalha competências transversais (habilidades comportamentais e relacionais) porque explora a flexibilidade cognitiva: descobre-se juntos a importância do quociente emocional, oferece possibilidade de resolução de problemas complexos a partir do pensamento sistêmico e da descoberta de que “até as mãos pensam”, quando conseguem se expressar, de forma lúdica, por meio da modelagem de argila, carvão, desenhos etc.

A primeira empresa a participar do treinamento foi a Commcenter, em São Paulo, entre os dias 11 e 22 de novembro, com duas turmas. 35 participantes estiveram presentes, incluindo 9 líderes da equipe e os 2 CEOs.

Além da base teórica da Economia de Comunhão, o programa também lida com o fundamentos da Teoria U (Otto Scharmer), bem como com as indicações do Papa Francisco (Loppiano – maio de 2019) sobre os elementos para a formação humana baseados no pensar bem, sentir bem, fazer bem.

O curso foi projetado para ser aplicado também à governança corporativa de outras organizações, com líderes comunitários, associações, institutos, fundações, membros de cooperativas ou, simplesmente, para pessoas com sede de descobrir seu potencial transformador.

“Precisamos pensar mais sobre o coletivo, sobre a unidade, sobre a comunhão” e “devemos deixar de lado a percepção de que o outro é um obstáculo” foram algumas das impressões reunidas pelos participantes dessa primeira aula.

Saiba mais sobre o P²C²H em nossa matéria:

Commcenter é primeira empresa a receber programa de capacitação oferecido pela Anpecom

Parcerias

Polos Industriais

Acompanhar o desenvolvimento dos Polos da EdC é um dos papéis da Anpecom. Durante este último ano, estivemos presentes em diversos eventos e reuniões realizadas pelos dois polos brasileiros, Spartaco e Ginetta, para dar suporte e apoiar suas iniciativas.

Polo Spartaco 

Em 2019, a parceria entre o Polo Spartaco e a Anpecom se tornou ainda mais forte, com a possibilidade de os acionistas da Espri doarem suas ações diretamente para a Anpecom. Essa proposta possui duas motivações:

1) assegurar o controle societário do Polo Spartaco

2) reduzir os custos operacionais de gestão de uma sociedade anônima de capital fechado, que são extremamente altos. Com um acionista majoritário do porte da Anpecom, isso se torna viável.

A Anpecom apoia ativamente o Polo Spartaco em todas as suas ações e estratégias de desenvolvimento e realiza eventos em conjunto, para dar maior visibilidade a essa parceria institucional. Em 2019, o mais importante desses eventos foi a Arena Investidor.

A proposta do evento era conectar pessoas com boas ideias de negócio ou empresas promissoras já em atividade a investidores com disponibilidade de destinar um recurso a partir de R$ 5 mil para um investimento produtivo, ou seja, para permitir o surgimento e a consolidação de um negócio.

A Arena Investidor foi uma experiência pioneira nesse sentido. Gostaríamos de oferecer um espaço de interação e relacionamento entre investidores e microempreendedores, com possibilidade de realização de contratos de investimento ou até mesmo sociedades.

Esse evento aconteceu no dia 23 de março, na Mariápolis Ginetta. Os microempreendedores selecionados apresentaram os pitches de seus negócios e, após um momento de interação com perguntas e colocações de natureza técnica, de forma muito clara e objetiva, foram apontadas as inconsistências presentes nos planos de negócios e as necessidades de maturação. Os investidores eram quatro empresários de EdC, um grupo com características mistas e complementares.

Os investidores concluíram que os negócios e os empreendedores precisavam ajustar aspectos do plano de negócios antes de receberem qualquer investimento: ficou claro que a necessidade do momento era aprofundar o acompanhamento técnico. Isso foi dito aos empreendedores de forma muito clara e profundamente respeitosa.

A reação dos empreendedores foi muito positiva: aconteceu um diálogo muito produtivo, conduzido e baseado na experiência de Economia de Comunhão. Isso se traduzia em colocações objetivas, claras, profissionais, mais profundamente humanas, concretas, traduções da concretização da EdC na vida de cada um dos presentes.

Provamos, mais uma vez, que os negócios com propósito e valores são uma forte tendência do século XXI e a EdC deve caminhar alinhando e articulando esses diferentes atores ao seu redor. Estamos mais convictos do que nunca de nosso papel e seguimos mais fortalecidos, testando modelos, experiências, errando e acertando os nossos caminhos.

A proposta do evento era conectar pessoas com boas ideias de negócio ou empresas promissoras já em atividade a investidores com disponibilidade de destinar um recurso a partir de R$ 5 mil para um investimento produtivo, ou seja, para permitir o surgimento e a consolidação de um negócio.

A Arena Investidor foi uma experiência pioneira nesse sentido. Gostaríamos de oferecer um espaço de interação e relacionamento entre investidores e microempreendedores, com possibilidade de realização de contratos de investimento ou até mesmo sociedades.

Esse evento aconteceu no dia 23 de março, na Mariápolis Ginetta. Os microempreendedores selecionados apresentaram os pitches de seus negócios e, após um momento de interação com perguntas e colocações de natureza técnica, de forma muito clara e objetiva, foram apontadas as inconsistências presentes nos planos de negócios e as necessidades de maturação. Os investidores eram quatro empresários de EdC, um grupo com características mistas e complementares.

Os investidores concluíram que os negócios e os empreendedores precisavam ajustar aspectos do plano de negócios antes de receberem qualquer investimento: ficou claro que a necessidade do momento era aprofundar o acompanhamento técnico. Isso foi dito aos empreendedores de forma muito clara e profundamente respeitosa.

A reação dos empreendedores foi muito positiva: aconteceu um diálogo muito produtivo, conduzido e baseado na experiência de Economia de Comunhão. Isso se traduzia em colocações objetivas, claras, profissionais, mais profundamente humanas, concretas, traduções da concretização da EdC na vida de cada um dos presentes.

Provamos, mais uma vez, que os negócios com propósito e valores são uma forte tendência do século XXI e a EdC deve caminhar alinhando e articulando esses diferentes atores ao seu redor. Estamos mais convictos do que nunca de nosso papel e seguimos mais fortalecidos, testando modelos, experiências, errando e acertando os nossos caminhos.

Polo Ginetta

Após uma virtuosa história, escrita ao longo dos últimos treze anos, o Polo Ginetta, em decisão tomada pela unanimidade dos acionistas presentes em Assembleia Geral, após um cuidadoso processo de atualização de seus propósitos, deliberou encerrar suas atividades, dando oportunidade ao surgimento de novas ideias e novos investimentos, o que contribuirá muito para o desenvolvimento da EdC no Nordeste do Brasil.

Nesse processo de tomada de decisão, a Anpecom esteve ao lado do Polo Ginetta, compartilhando sua assistência e seu apoio.

Firgun

Em Fevereiro de 2019, após uma indicação da Aliança Empreendedora, conhecemos dois empreendedores dispostos a mudarem a realidade de muitos pequenos empresários da base da pirâmide social. Lemuel Simis e Fabio Takara nos apresentaram a Firgun, empresa que criou um sistema de investimentos de pessoas físicas e jurídicas para impulsionar empreendedores da periferia social que não têm acesso a crédito bancário, visando uma inclusão financeira mais justa, com crédito a juros mais baixos e rentabilidade para os investidores.

A Anpecom e a Firgun foram parceiros em 3 eventos durante este ano, marcando presença durante a Rodada de Negócios, o Happy Hour de Impacto Social e o Fórum Nacional de Empreendedorismo. Ambas as instituições acreditam que o empreendedorismo pode contribuir para a redução da pobreza. Em dezembro as organizações assinaram um contrato de parceria e a cooperação com o objetivo de realizar ações conjuntas ligadas à facilitação de microcrédito a empreendedores de baixa renda.

A parceria com a Firgun é um exemplo concreto de que a Economia de Comunhão já é uma realidade em muitas empresas inovadoras.

Saiba mais sobre nosso mais novo parceiro em nossa matéria: Podemos usar nosso dinheiro para promover transformação

Projeto Geração de Futuro

O Projeto Geração de Futuro foi lançado em 2019 pela OSC Sociedade Movimento dos Focolares (SMF) e visa preparar jovens em situação de vulnerabilidade que cursam o Ensino Médio para o mundo do trabalho, a partir de uma visão empreendedora. Para tanto o projeto oferece um curso de 18 semanas que estimula o desenvolvimento pessoal e técnico de jovens da periferia de Vargem Grande Paulista (SP), São Roque (SP) e Cotia (SP).

A Anpecom decidiu apoiar o projeto por entender que a iniciativa converge com dois de seus objetivos: o fomento ao empreendedorismo para jovens em situação de vulnerabilidade e a divulgação da cultura da Economia de Comunhão. A associação contribuiu com recursos financeiros e com conhecimento, uma vez que participou da elaboração da grade do curso e colaborou com o processo formativo, disponibilizando membros de sua equipe para as aulas que foram ministradas no decurso do projeto.

Durante esse ano 12 jovens participaram do curso. Um ponto importante é que não houve evasão. Em 2020 o projeto irá apoiar outros jovens.

 

Conferência Nacional de Empreendedorismo 2019

Imersão EdC: a racionalidade da comunhão

O primeiro dia da Conferência foi dedicado a aprofundar as origens místicas e carismáticas da Economia de Comunhão e sua inculturação atual. Cerca de 70 pessoas participaram do primeiro dia do evento. Com uma proposta experimental e inovadora de levar a comunhão para dentro das empresas, a EdC ganhou o mundo e não se restringiu aos limites cristãos: tornou-se uma prática, uma cultura, que acompanha empresários e pessoas em meio ao cotidiano de qualquer empresa: metas, processos, pressão, fluxo de caixa, etc.

Saiba mais detalhes em nossa matéria sobre o evento:

Imersão EdC: a racionalidade da comunhão

Conferência Nacional 2019

Fórum Nacional da EdC

Cerca de 160 empresários e pessoas interessadas na EdC puderam refletir sobre como implementar uma nova cultura empresarial que cative e transforme acionistas, colaboradores e gestores em prol de ações de compartilhamento, seja dentro da empresa, seja em todos os lugares. Mudar concepções depende muito de começarmos a enxergar as empresas como parte de uma comunidade global, por meio das quais é possível inovar e construir novas formas de fazer negócio. E é justamente essa nova cultura que a EdC deseja propor, juntamente com outras iniciativas que também trabalham por uma economia mais justa, inclusiva e sustentável.

Neste ano, a conferência de abertura do Fórum foi preparada e realizada por um membro da Economia de Comunhão e um membro do Sistema B do Brasil, João Bernardo Casalli, o que demarcou nossa estratégia de trabalhar em rede com outros movimentos econômicos, dentro do que hoje se denomina “novas economias”.

Clique aqui para mais informações sobre o Movimento B e novas economias.

Saiba mais sobre o Fórum e conheça algumas empresas que escolheram a cultura da comunhão em nossa matéria:

Uma nova cultura empresarial para gerar comunhão

Tema de abertura do Fórum

Assembleia Nacional da Associação Nacional por uma Economia de Comunhão

No dia 21 de setembro, em Vargem Grande Paulista, aconteceu a Assembleia Ordinária e Extraordinária da Associação Nacional por uma Economia de Comunhão (Anpecom) que reuniu cerca de 150 pessoas entre associados e pessoas interessadas na Economia de Comunhão (EdC) no Brasil.

Como já fazemos há alguns anos, aproveitamos esse momento – que é uma obrigação legal e estatutária – para apresentar nossos projetos, e os resultados e estratégias de crescimento da Economia de Comunhão no Brasil. Neste último ano destacaram-se as experiências dos empreendedores participantes do PROFOR, do Supera e o lançamento do P²C²H.

Conferência Nacional - Assembleia

Evento Internacional da Rede EdC

O encontro internacional da rede EdC aconteceu entre os dias 23 e 27 de outubro de 2019 e reuniu mais de 50 representantes da EdC de 16 países. O objetivo do encontro foi realizar um intercâmbio de práticas e reflexões para avaliar os projetos atuais e projetar o futuro da EdC em nível mundial.

A rede discutiu, na ocasião, a expectativa por uma Economia de Comunhão mais alinhada a outros movimentos econômicos e à sociedade civil nos próximos anos. Essa sinergia já tem acontecido nos últimos anos, como foi visto no Prophetic Economy e como estamos podendo vivenciar na preparação do Economy of Francesco.

Trabalharemos focados nisso nos próximos anos. O fundamental é nunca perdermos de vista que a EdC nasceu para os pobres. Logo todo nosso trabalho será realizado para atingir esse fim.

 

Eventos de 2020

Economia de Francisco

O evento acontecerá em março de 2020, em Assis (Itália). O encontro “Economia de Francisco” reunirá, a convite do Papa, jovens economistas, empresários e empresárias do mundo todo. O nome não é uma referência ao Papa, mas a São Francisco de Assis, que viveu com coerência sua vida cristã também no plano econômico e social.

O objetivo do evento é incentivar jovens a refletirem sobre a economia a fim de tornar a economia de hoje e de amanhã justa, sustentável e inclusiva, sem deixar ninguém para trás.

A Economia de Comunhão também estará presente no evento. Nossa rede é uma das organizadoras, juntamente com a prefeitura e Diocese de Assis. À frente da direção científica do evento está Luigino Bruni, coordenador internacional da EdC.

NOVIDADE: Encontro paralelo para Seniores!

Em paralelo ao encontro dos jovens, acontecerá, em Perugia (Itália), um evento aberto para aqueles que têm mais de 35 anos. Ao final, os participantes do evento de seniores se encontrarão com os jovens do evento principal, em Assis. Para mais informações sobre esse evento, escreva para: [email protected]

 

SAVE THE DATE: Conferência Nacional de Empreendedorismo 2020

A Conferência Nacional de Empreendedorismo é um evento de conexão entre empreendedores, pesquisadores e interessados em trabalhar por uma economia com valores e comprometidos com os objetivos da EdC.

A conferência acontece anualmente e tem se consolidado como o principal evento da EdC em âmbito nacional. Em 2020 o evento contará com uma programação diversificada: workshops, palestras, oficinas, painéis e muito mais. Reserve a data na sua agenda!

 

A Economia de Comunhão é uma proposta que diz respeito a cada um de nós como um todo, um convite a vivenciar a fraternidade no setor econômico através do fomento da confiança nas relações da sociedade e nas organizações. Aqui está a grande missão das empresas, empresários e agentes EdC, quebrar as barreiras do individualismo com a cooperação mútua e um olhar mais humano sobre as desigualdades sociais.

Seguimos 2020 com a esperança e muito trabalho para superar esses desafios! Vem com a gente?!