ANPECOM - Associação comercial por uma economia de comunhão. Logomarca da ANPECOM, composta por meio globo mostrando o mapa do Brasil seguido do nome da associação

Economia de Comunhão consolida espaço na área acadêmica

06/08/2020
Em 2021, a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, sediará o III Encontro de Economia de Comunhão. A chamada de artigos já está aberta.

Quando foi lançada, ainda em 1991, a Economia de Comunhão logo ganhou a adesão de diversos empresários por apresentar uma alternativa mais justa e fraterna para a economia e propor a lógica da comunhão de recursos e talentos dentro das empresas.

É bem verdade que a prática veio antes, mas quase 30 anos depois, e após muitas experiências enfrentadas no dia a dia, agora a Economia de Comunhão tem o seu espaço também no meio acadêmico com ricas reflexões não só econômicas, como sociais.

Uma das universidades que abraça a EdC como linha de pesquisa é a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), que se prepara para realizar, em 2021, o III Encontro de Economia de Comunhão e suas pontes multidisciplinares. O evento terá como tema: “Múltiplas arestas e faces da vida nas travessias entre mordaças e liberdades”.

A chamada de artigos já está aberta para universitários e pesquisadores interessados na Economia de Comunhão. Os artigos poderão abordar os fundamentos e princípios essenciais de diferentes áreas de conhecimento, perpassando temas transversais como governança, gestão, desenvolvimento de pessoas, capital social, ética, meio ambiente, acessibilidade, gênero, educação, lógica da fraternidade nas relações econômicas, dentre outros.

Por enquanto, o evento está confirmado em formato presencial, mas com possibilidade de apresentação de trabalhos remotamente.

“É um evento que entrelaça as influências da cultura da fraternidade em práticas no âmbito do ensino, extensão e pesquisa universitária. A proposta é abrir espaço no campo dos estudos acadêmicos para visualizações de múltiplas arestas e mordaças entre áreas do conhecimento que norteiam a educação profissional. É uma possibilidade para travessias das liberdades dos estudantes, professores, pesquisadores, órgãos de fomento, a partir do tecnicamente plausível que se abraça ao eticamente justo e correto”, comentou a Prof.ª Drª Heloisa Helena Borges, diretora da Escola de Engenharia de Produção da UNIRIO, protagonista da inclusão da Economia de Comunhão como linha de pesquisa na universidade.

Os interessados em participar do evento ou submeter artigos podem acessar a ementa e mais informações pelo link a seguir: https://recosol.uniriotec.br/edc/.

 

*Matéria originalmente publicada na Revista Cidade Nova de julho de 2020. A Cidade Nova apoia a Economia de Comunhão.

Autor: Cibele Lana