ANPECOM - Associação comercial por uma economia de comunhão. Logomarca da ANPECOM, composta por meio globo mostrando o mapa do Brasil seguido do nome da associação

“Economia de Francisco: juntos por um novo pacto global” reúne organizações e pessoas por uma economia mais justa, inclusiva e regenerativa

09/11/2020

Mais do que um evento, Economia de Francisco é um movimento cultural e plural convocado pelo Papa Francisco que busca reunir e articular pessoas e organizações que desejam construir um sistema econômico mais justo, inclusivo e regenerativo.

A iniciativa, mesmo partindo do líder da Igreja Católica, não tem a intenção de se restringir aos católicos. Na verdade, o Papa Francisco tem denunciado o “estado patológico da economia mundial” e convidado a todos os que operam nas estruturas do sistema econômico e na cultura que o sustenta para uma redefinição do capitalismo vigente, de modo a considerar as pessoas e o planeta como centro do processo produtivo. “Somos todos responsáveis”, ele diz.

No Brasil, a comunidade de negócios de impacto social vem dialogando há alguns meses sobre diversas temáticas do evento como: lucro e vocação, finanças e humanidade, dores da desigualdade e as soluções do empreendedorismo de impacto.

E para concluir esse percurso formativo, nos próximos dias 19 e 20, em paralelo ao evento global da EoF, a Economia de Comunhão, o Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) e o Sistema B Brasil realizarão em parceria um evento nacional dedicado a empreendedores, investidores, atores do ecossistema, economistas, jovens e todas as pessoas que desejam se engajar nessa causa.

A programação, dividida em dois dias, terá como base os propósito e as atuações dessas e de outras organizações convidadas. Célia Cruz, diretora executiva do ICE;  Pedro Tarak, atual líder sênior de pontes globais do Sistema B Internacional; Marcel Fukayama, diretor executivo do Sistema B Internacional; Renata Nascimento,  fundadora e presidente do Conselho do ICE; Lucas Ramalho Maciel, coordenador da Enimpacto; Márcia Silveira, diretora de articulação e comunicação institucional do Sistema B Brasil; Ricardo Glass, líder do Sistema B Brasil e do Capitalismo Consciente Brasil , Julia Rodrigues Melo, diretora nacional do Amani Institute; Maria Helena Faller, presidente da Associação Nacional por uma Economia de Comunhão; dentre outros participantes, já estão confirmados (confira a programação a seguir).

Na ocasião, as organizações e todos os participantes presentes serão convidados a assinar o pacto global de comprometimento com a causa da Economia de Francisco, no qual cada uma delas deixará por escrito ao menos uma proposta de atuação para aderir ao pacto. Esse documento será entregue diretamente ao Papa Francisco.

De fato, para as organizações envolvidas, o evento é apenas o começo, e não o fim, do fortalecimento do ecossistema de negócios de impacto no Brasil. Todas elas acreditam que a profunda crise econômica, social e ecológica que vivemos é também uma oportunidade para dar à economia uma nova “alma”, que não desconecte propósito de lucro e que apoie o mercado livre, mas acima de tudo justo para todos os trabalhadores, ao mesmo tempo em que também é justo com o nosso planeta.

Se você também acredita em novas economias, participe!

Como participar

O evento será totalmente on-line, nos dias 19 e 20, das 14h45 às 18h. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo botão a seguir.

 

Na parte da manhã, para aqueles que desejarem, será possível acompanhar a transmissão do evento global pelo Youtube.

Confira a programação completa:

Dia 1 | 19 de novembro

Como minha trajetória me levou a atuar com o propósito de mudança?

14h45 | Chegada e orientações técnicas

15h00 | Boas vindas

O que é Economia de Francisco? Porque estamos juntos?

Maria Helena, presidente da Associação Nacional por uma Economia de Comunhão.

Renata Nascimento, fundadora e presidente do Conselho do Instituto de Cidadania Empresarial.

Márcia Silveira, diretora de articulação e comunicação institucional do Sistema B Brasil

Imperative 21 – Redefina o capitalismo

15:40 | Retratos do Ecossistema de Impacto Social no Brasil

Mediação: Fernanda Bombardi, gerente executiva do ICE.

Ricardo Glass, fundador da Okena, líder do Sistema B Brasil e do Capitalismo Consciente Brasil, associado do ICE.

Jean Santos, educador social, pedagogo, oficineiro, fundador da Catequese Musical, da Instrumentoteca Comunitária Alice, da Consultoria e Instrutoria SIGA ME, do Programa e Coletivo Tempo de Evoluir. Empreendedor social voluntário da Rede Anpecom.

Julia Melo, diretora nacional da Amani Institute.

16h25 – Rodas de conversa e mesas de boteco on  line.

17h30 as 18h – Plenária e fechamento do dia

 

 

 

Dia 2 | 20 de novembro

Como atuamos juntos para consolidar de forma sistêmica uma economia mais justa, inclusiva e regenerativa?         

14h45 – Chegada e orientações técnicas

15h – Boas Vindas

Maria Helena, presidente da Associação Nacional por uma Economia de Comunhão

15:20h – Ecossistema de Impacto Social no Brasil e seu posicionamento institucional

Mediação: Pedro Telles, diretor de relacionamento e gestor de comunidades no Sistema B Brasil

Aliança de Investimentos e Negócios de Impacto com Célia Cruz, diretora executiva do ICE.

Estratégia Nacional de Investimentos e Negócios de Impacto – ENIMPACTO, com seu coordenador, Lucas Ramalho Maciel.

Grupo Internacional de Reativação Econômica de Impacto – GITRE, com um de seus  coordenadores e mentores, diretor executivo do Sistema B Internacional, Marcel Fukayama.

16:20h Café e bate papo com open space

Participantes definem os temas a serem dialogados colaborativamente.

17h25 | Plenária

17h45 as 18h | Assinatura do Pacto Global e fechamento

 

 

Programação especial no dia 21

Ainda como parte do evento, no dia 21, a Anpecom realizará uma programação especial para os jovens inscritos e envolvidos com a Economia de Francisco e demais interessados em novas economias.

Os jovens interessados podem se inscrever neste link.

Sobre os convidados 

Pedro Tarak é atualmente líder Sênior de Pontes Globais no Sistema B International, co-fundador do Sistema B e ex presidente do Sistema B International.Membro do Conselho da Wellbeing Economy Foundation no Reino Unido. Membro do Conselho Consultivo da Equipe B. Embaixador Global do Movimento B Corp desde outubro de 2014, reconhecimento concedido pelo B Lab UK. É cofundador da Emprendia, primeira B Corp na Argentina. Consultor internacional da Guayaki, uma B Corp. É um pequeno investidor da Quinto Impacto, uma empresa B em Mendoza. É também um pequeno investidor do Mercado Pax, empresa que comercializa produtos de triplo impacto empresarial na Argentina e no Uruguai. Foi editor-chefe da “Ambiente y Recursos Naturales”, primeira revista de direito ambiental em espanhol, publicada pela editora La Ley. Co-fundador da FARN (sigla em espanhol para “Fundación Ambiente y Recursos Naturales”, ou Meio Ambiente e Fundação de Recursos Naturais), onde fomentou regimes jurídicos, instituições ambientais e mecanismos de participação cidadã em nove países da América Latina. Foi assessor jurídico ambiental da vice-presidência da Argentina, no primeiro período democrático do país. Foi consultor do PNUD, OAS e Banco Mundial. Foi o primeiro Representante da AVINA na América Latina e iniciou a organização em cinco países latino-americanos, construindo pontes internacionais não só na região, mas também com a Europa. Foi responsável pelo lançamento de sua primeira estratégia de mudança climática. É formado em Direito pela Universidade Nacional de Buenos Aires e possui LL.M pela Universidade de Indiana (especialização em direito ambiental internacional e comparado).

 

Célia Cruz – Diretora Executiva do ICE desde 2012. Foi Diretora da Ashoka Canada de 2009 a 2011, Managing Director da Ashoka Global Fellowship por 1 ½ anos e Diretora da Ashoka Brasil e Paraguai por 5 anos. Trabalhou no Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS), onde coordenou o Programa Doar de desenvolvimento comunitário por dois anos, com a visão de implementar fundações comunitárias em cidades brasileiras. Criou a empresa de consultoria em captação de recursos, Philantropics em 1994 e trabalhou como Diretora de Desenvolvimento Institucional da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (EAESP/FGV) de 1994 a 2000. Em 1999 foi uma das fundadoras da ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos). Representou a Fundraising School of Indiana University’s Center for Philanthropy de 2000 – 2003 e lecinou cursos de captação de recursos e empreendedorismo social de 1995 -2007 em diversas escolas como EAESP/FGV, FEA/USP, SENAC, FOS e em diversos programas no Brasil. É graduada em economia pela FEA/USP e tem seu mestrado pela EAESP/FGV com intercâmbios na ESSEC, France e York University, Canadá. Completou em set 2017 o curso Governing for Non-Profit Excellence, Harvard Business School. É conselheira do Sistema B Internacional, Imaflora, Fundo Elas, Fundo BemTeVi e Rede Latinoamericana de Venture Philanthropy (Latimpacto) e do Conselho Consultivo dos Fundos de Investimento Responsável do Itaú. É membro da Rede BMW Responsible Leaders e recebeu o Prêmio de Captadora Emérita de 2017da ABCR. É co-autora do livro Captação de Diferentes Recursos para Organizações Sem Fins Lucrativos, 2000.

 

Marcel Fukayama é empreendedor de impacto, co-fundador do Sistema B Brasil e diretor-executivo do Sistema B Internacional e uma das lideranças do movimento global que busca redefinir sucesso na economia. Formado em Administração de Empresas, com MBA e mestrado em administração pública pela London School of Economics and Political Science. Também é co-fundador da Din4mo, Empresa B Certificada com o objetivo de fortalecer empreendedores que resolvem problemas sociais. Foi reconhecido como um dos jovens da lista Forbes Abaixo de 30, apontado como um 10 CEOs mais inspiradores do Brasil pela GQ Magazine e escolhido um dos 12 jovens líderes globais pela Skoll Foundation e MasterCard Foundation. É membro do Comitê da Estratégia Nacional de Investimentos e Negócios de Impacto (ENIMPACTO) do Ministério da Economia.

 

Renata Nascimento é membro do Conselho da PMV – Participações Morro Vermelho S/A. Ela é bacharel em Economia pela Universidade Mackenzie no Brasil. Renata tem sido membro ativo de várias organizações sem fins lucrativos desde 1975 nas áreas de inovação social, finanças sociais, negócios de impacto, sustentabilidade empresarial, educação e desenvolvimento comunitário, seja através de iniciativas empresariais ou contribuindo com outras organizações existentes, tais como: Fundadora e Diretora Presidente do ICE – Instituto de Cidadania Empresarial, em São Paulo, desde 1999; Presidente do Conselho de administração do Instituto InterCement para o desenvolvimento comunitário; Instituto Camargo Corrêa;  Fundación Loma Negra – Argentina; Associação Obra do Berço; Fundadora do ICE- Maranhão; Fundadora do Projeto Casulo; Membro do Conselho do Lincoln Center;  Participou do Conselho da Comunitas e do GIFE e do Conselho da Alcoa Foundation e Instituto Alcoa do Brasil.

 

Lucas Ramalho Maciel é servidor público, membro da carreira de Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental, é formado em Agronomia (2006), possui especialização em Gestão Governamental (2007) e mestrado em Agricultura Familiar e Agronegócios pela Universidade de Brasília (2008).
Atualmente é assessor da Secretaria de Inovação e Transformação Digital do Ministério da Economia para a temática de Investimentos e Negócios de Impacto.
Faz parte da equipe responsável pelo InovAtiva de Impacto, programa voltado para a aceleração de negócios que possuem o potencial de gerar lucro e, ao mesmo tempo, gerar impacto positivo no meio ambiente ou em pessoas em situação de vulnerabilidade social.  Atua na coordenação da Estratégia Nacional de Investimentos e Negócios de Impacto – Enimpacto, promovendo a articulação necessária para a realização de ações conjuntas para promover as Finanças Sociais no Brasil, por meio da ampliação dos Negócios de Impacto e do fortalecimento do ecossistema das Finanças Sociais.

Márcia Silveira é Diretora de Articulação e Comunicação Institucional no Sistema B
Executiva de Comunicação e Marketing há mais de 20 anos no mercado, com foco em moldar a imagem e a reputação de negócios e pessoas. Após onze anos de gestão na empresa Beleza Natural, especializada em soluções para os cabelos crespos e cacheados, Márcia tornou-se especialista em assuntos como afroconsumo, empoderamento feminino, empreendedorismo e comportamento do consumidor na base da pirâmide.  A conclusão do MBA Executivo da Coppead, uma das escolas de negócios mais reconhecidas no Brasil, reforçou sua trajetória acadêmica, que ainda é fortalecida com passagens pelos cursos de Empreendedorismo, na Boston College, e de Reputação e Digital Marketing, na NYU, ambas nos Estados Unidos. Além da experiência adquirida nos cursos de Design Thinking, na IE Business School, na Espanha, e de Comunicação Corporativa, pela Universidade Cândido Mendes, no Brasil. Após morar no último ano em Nova Iorque, no bairro Harlem, com a missão de internacionalizar uma marca brasileira, Márcia segue carreira como mentora, inspirando mulheres e negócios a crescerem com sustentabilidade por meio da Black Vision Brasil, sua consultoria de branding.

Jean Santos é EP5² – esposo, pai de cinco filhos (as) e filhos sociais das comunidade educativas de Beiru Tancredo Neves. Empreendedor social da Rede Anpecom, educador social, pedagogo, especialista em gestão e coordenação pedagógica e (em curso) especialista em logoterapia e análise. Fundador, gestor e instrutor da Siga-me Instrutora Socioeducativa, coordenador regional em Salvador e interior da Bahia na Associação Conexão e Vida, criador da Catequese Musical em 2005, fundador da ICMA – Instrumentoteca Comunitária Alice, da OPAM- Orquestra Arquidiocesana Padre Mauricio Abel e do Programa Tempo de Evoluir – Coletivo Tempo de Evoluir. Formador de jovens educadores na Associação Mosaico do Amor e na Pastoral da Criança e do Adolescente. Criador e articulador de
Programas de formação musical e instrumental nas periferias.

Fernanda Bombardi é Fellow do programa do MIT D-Lab Innovation Ecosystem Builder Fellowship. Membro do Conselho da ANDE – Aspen Network of Development Entrepreneurs no Brasil. Com MBA em Gestão de Negócios Socioambientais pelo CEATS-USP, é psicóloga formada pela PUC-SP e especialista em Desenvolvimento Local pela OIT – Organização Internacional do Trabalho. Trabalhando no ICE (Instituto de Cidadania Empresarial) desde 2006, idealizou, implementou e coordenou o Projeto Pajiroba – focado na geração de renda e agricultura familiar em  comunidades vulneráveis na Amazônia – até 2009. Em 2010, assumiu a gerência executiva do Instituto, sendo co-responsável pela estratégia da organização na área de investimentos e negócios de impacto, na gestão da equipe, orçamento, comunicação institucional e estratégias de governança. Atualmente, ela está mais diretamente envolvida na gestão de parcerias e num programa para engajamento de incubadoras e aceleradoras no campo de negócios de impacto.

Ricardo Glass é economista, empreendedor e ativista das causas sociais e ambientais. Fundou a Okena, empresa B certificada de tratamento e mineração em efluentes industriais  (offsite). É associado do ICE, um dos líderes do movimento Capitalismo Consciente Brasil, e também co-presidente do conselho do Sistema B no Brasil, desafiando lideranças empresariais a repensar e reconhecer as responsabilidades de suas empresas numa sociedade global interdependente. É também co-fundador do Instituto Arredondar e conselheiro do Instituto Samuel Klein buscando contribuir na construção de uma cultura de doação e co-responsabilidade no país.

Julia Melo é uma mineira Pós Graduada em Inovação Social, formada em comunicação social e apaixonada por educação. Educação daquelas que amplia possibilidades, gera auto consciência, multiplica oportunidades e que une o fazer o bem ao viver bem. Sim, é possível e a Ju é uma das lideranças nessa frente de trabalho no Brasil e no mundo. Atualmente Diretora Nacional do Amani Institute no Brasil, uma organização sem fins lucrativos que tem a missão de desenvolver pessoas e organizações para o impacto social. Com valiosas experiências desde educação internacional para a paz, até escolas rurais nos interiores da Amazônia no Amazonas no Brasil, ela já viajou quase toda a América Latina e hoje o foco é desenvolver e cultivar cultura organizacionais saudáveis, coerentes e eficientes, colaboração e qualidade de vida de verdade, para todos.

Pedro Tellles é mestre em administração pelo COPPEAD/UFRJ, economista, com domínio adicional em empreendedorismo, pela PUC-Rio.
Foi cofundador do Compras do Bem, market place para produtos e serviços que trabalham o impacto no seu modelo de negócio. Trabalhou como consultor da Ionica, apoiando empresas na transição para uma atuação que considere a sustentabilidade e o impacto social dentro do seu processo, além de dar aula em diversos cursos que tratam do tema, como o Curso de Negócios de Impacto da PUC-Rio. Fellow do Social Good Brasil, Pedro também possui certificado do Global Reporting Initiative (GRI) para elaboração de relatórios de sustentabilidade. Foi Gestor da Comunidade B do Rio de Janeiro desde a sua formalização e até o começo de 2020, quando assumiu a posição de Gestor de Comunidades e Relacionamento no Sistema B Brasil.

Maria Helena Fonseca Faller deseja mudar o mundo desde seus 4 anos de idade, quando se perguntou porque tinha duas bonecas e a menininha que pedia comida na porta da sua casa, nenhuma. Vive imersa em projetos sociais em comunidades de periferia desde sua adolescência. É empreendedora, advogada, professora universitária, mestra e doutora em temas ligadas a democracia, constitucionalismo, participação social e partilha de poder político. O encontro com a Economia de Comunhão, movimento cultural e econômico que vem acompanhando há mais de 20 anos, mudou sua vida. Tornou-se tema de sua dissertação, da publicação de seu primeiro livro e a motivou todas suas decisões pessoais e profissionais. Tornou-a sócia da Pasticcino Brasil, empresa de Economia de Comunhão. Foi diretora jurídica da Anpecom, associação nacional que representa esse movimento no país e atualmente está presidente da instituição, o que lhe proporcionou o presente de ganhar amigos e amigas em todas as partes do Brasil e do mundo, sentindo-o como sua casa. Coordena a incubadora de base social PROFOR e participou da concepção e desenho dos projetos de empreendedorismo que estão em andamento na organização.  Daniel, seu marido, lhe proporcionou cofundar uma consultoria referência no mercado de energias renováveis e ser mãe do Bernardo, uma fonte de inspiração e renovação constantes. Maria Helena é apaixonada pelas pessoas, pelo Brasil, pelas culturas, pela música, pela meditação e pelo mar e pela simplicidade. Em 2017 encontrou-se com o Papa Francisco e se comprometeu a  dedicar o resto da sua vida a causa da redução da pobreza, o que confere verdadeiro sentido a tudo que faz nessa vida.